Técnicos da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), braço da Organização Mundial de Saúde (OMS), que estão em Campo Grande para conhecer o trabalho desenvolvido na Rede de Atenção Básica, fizeram uma visita técnica a Clínica da Família, no Bairro Nova Lima. A estrutura da unidade e o fluxo de atendimento chamaram a atenção dos representantes da organização, que sugerem, inclusive, levar a estratégia estabelecida aqui como referência para outras cidades do país.

O consultor técnico nacional da OPAS/OMS, Wellington Mendes Carvalho, explica que o objetivo da vinda à Capital é justamente conhecer as experiências exitosas desenvolvidas aqui, que podem ser levadas para os municípios. Além disso, os esforços da gestão em fazer uma mudança no modelo de atendimento devem ser observados.

“A cultura da urgencialização ainda é bastante presente em Campo Grande. A ideia é reformular isso e buscar caminhos para fortalecer a Atenção Básica e dar um tratamento mais adequado a estes pacientes. Temos visto os esforços que o Município vem fazendo neste sentido e, portanto, é necessário reconhecer e  incentivar. O nosso papel também é levar estas experiências para outros município através da divulgação destas praticas”, disse.

Campo Grande está entre as quatro cidades escolhidas para integrar o Laboratório de Inovação em Atenção Primária à Saúde Forte (APS Forte) da  OPAS. Trabalho semelhante está sendo desenvolvido também em Tocantis, Brasília e Porto Alegre.

Nesta quinta-feira (8), o grupo se reunirá com o prefeito Marquinhos Trad, às 10 horas,  no Paço Municipal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here