Lançado  em março do ano passado como estratégia no combate ao mosquito Aedes aegypti, o programa “Integrado Intersetorial de Colaborador Voluntário” ganhou maior notoriedade a partir da publicação do decreto nº13.766 de 23 de janeiro de 2019, assinado pelo prefeito Marquinhos Trad. Ela institui oficialmente o programa, o tornando referência como ferramenta de cooperação ao congregar esforços no controle da proliferação do mosquito no âmbito interinstitucional. A previsão é ampliar o programa com a adesão de novos parceiros.

Nessa quinta-feira (7), o gerente técnico da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV), Marcos Luiz de Oliveira, idealizador do programa, esteve na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) apresentando a proposta. O técnico da CCEV foi recebido pelo professor e pesquisador Antônio Pancrácio e servidores da universidade e na ocasião detalhou o funcionamento do programa, além de comandar uma vistoria técnica com objetivo de localizar possíveis focos do Aedes aegypti.

Marcos Luiz explica que o programa nasceu com objetivo de instituir a cultura da prevenção, implementando ações compartilhadas entre o poder público e privado, propiciando às empresas envolvidas no processo condições para desenvolverem de modo eficiente o programa de prevenção evitando as doenças de caráter endêmico e epidêmico.

Os agentes fizeram uma vistoria no pátio da instituição.

Os agentes fizeram uma vistoria no pátio da instituição.

“A proposta foi criada para levar  tanto à instituições públicas como as privadas essa preocupação onde o colaborador voluntário recebe capacitação e treinamentos para o combate do mosquito Aedes aegypti, sendo todo o aparato técnico e operacional oferecido por nós”, diz.

Em 2018 foram realizadas 180 adesões (implantações) do programa em órgãos e instituições públicas. Para este ano a previsão é ultrapassar esta marca, com processo já iniciado na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Polícia Militar (15 unidades), Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), CEINF’s -Centros de Educação Infantil (101 unidades), Águas Guariroba (8 unidades), SESC (8 unidades) e Senac (3 unidades).

Desde a implantação do programa a equipe de gerenciamento técnico do programa no município tem realizado capacitações técnicas com os servidores das instituições que fizeram adesão, a fim de implanta-lo, e buscar multiplicadores no controle de vetores em Campo Grande.

Entre os colaboradores estão o Comando Metropolitano do Corpo de Bombeiros e seus 09 batalhões, a Funesp juntamente com seus parques e praças espalhados por Campo Grande, o 15° Batalhão da Policia Militar Ambiental e a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) onde 100% dos Colégios Municipais tanto em perímetro urbano quanto nas zonas rurais aderiram.

Selo Instituição Parceira da Saúde

O programa consiste ainda em premiar as empresas que se mantiverem, por um período de seis meses, livres do risco de proliferação do Aedes aegypti. Elas vão receber o Selo “Instituição Parceira da Saúde”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here