MS caminha para a universalização do esgoto sanitário

0
68
O presidente da CEF, Pedro Guimarães, anunciou ao governador Reinaldo Azambuja que em outubro ou novembro volta ao Estado para assinatura de novos contratos

Caminhando para a universalização do esgotamento sanitário em Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja assinou no sábado (21.9) contrato com a Caixa Econômica Federal (CEF) no valor de R$ 119 milhões para execução de obras de saneamento básico em 16 cidades, beneficiando mais 165 mil moradores. A solenidade foi na sede da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) em Campo Grande.

“Seremos o primeiro Estado do País a universalizar coleta e tratamento sanitário. Essa é a segunda etapa do programa que teve início em abril do ano passado, quando assinamos R$ 190 milhões para 16 municípios. Agora são mais 16 no valor de R$ 119 milhões e em outubro vamos assinar a terceira etapa com mais 14 municípios no valor de R$ 134 milhões. No total serão cerca de R$ 440 milhões em saneamento que trarão um ganho exponencial para a população dos municípios”, disse o governador.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse que a assinatura dos contratos representa um marco para a região. “Alguns municípios passarão a ter 100% do esgoto tratado, saindo de uma condição precária, sem estrutura de saneamento básico, para uma realidade com mais dignidade e saúde. São obras importantes, que vão beneficiar mais de 55 mil famílias”, explicou o presidente.

O diretor-presidente da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul), Walter Carneiro Junior, afirmou que as obras de esgotamento sanitário impactam positivamente em todo o funcionamento da cidade. “Saneamento é fundamental para evitar a poluição, preservar a saúde das pessoas e o meio ambiente. A Sanesul realiza projetos estratégicos que impactam diretamente na saúde pública, no desenvolvimento social e no desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul”, afirmou o diretor.

Os recursos são oriundos do Programa Avançar Cidades, programa do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).  Do valor total, R$ 113 milhões são oriundos dessa linha de financiamento, que tem o FGTS como fonte principal de recursos, e R$ 6 milhões são de contrapartida da Sanesul.

Os valores serão investidos na construção de redes de esgoto, elevatórias, estações de tratamento de esgoto (ETE) e sistema de proteção de tubulações no Rio Paraguai, em Corumbá, além de melhorias em ETEs já existentes nos demais municípios.

Receberão esses investimentos os municípios de Anaurilândia, Anastácio, Aral Moreira, Bataguassu, Dois Irmãos do Buriti, Figueirão, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Japorã, Mundo Novo, Rio Brilhante, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Ivinhema e Corumbá.

Está previsto da Sanesul construir 419 km de extensão de rede de esgoto e 23.046 novas ligações de esgoto nas cidades beneficiadas nesse programa, além de outras obras complementares do sistema de esgotamento sanitário.

Airton Raes

Foto: Chico Ribeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here